Comportamento

As piores queixas dos japoneses em relação ao casamento!

Nos últimos anos, os jovens japoneses tem postergado cada vez mais o casamento. Muitos atribuem esse fato aos problemas financeiros, tais como salário baixo ou falta de estabilidade no emprego. Com isso, sentem medo de não conseguir sustentar uma esposa e uma família.

No entanto, muitos admitem que essa decisão pode condena-los à solteirice para sempre pois quanto mais o tempo passa, a intenção de contrair um matrimônio pode ficar cada vez mais distante. Assim como é maior a dificuldade para encontrar a outra “metade da laranja”.

Internet Móvel

Além da questão de muitos acharem que o salário é insuficiente para sustentar uma família, há outros empecilhos tais como a falta de tempo e a dificuldade de interagir com o sexo oposto. O desinteresse pelo casamento tem causado um grande problema demográfico no Japão, onde há poucos nascimentos em uma das nações com maior expectativa de vida.

Segundo um estudo realizado por uma afiliada da empresa de seguros de saúde Meiji Yasuda Life Insurance, baseada em Tóquio, a proporção de homens japoneses na faixa dos 20 anos que querem se casar despencou dos 67,1% de apenas três anos atrás para 38,7%. Para as mulheres na faixa etária dos 20 anos, a taxa caiu de 82,2% em 2013 para 59%.

O tipo de marido que as japonesas procuram

As mulheres japonesas tradicionalmente procuram no parceiro perfeito os “três altos” – um homem alto, com alto desempenho acadêmico e renda elevada, mas a pesquisa sugere que atualmente a renda tornou-se a principal preocupação delas.

Mais de metade das mulheres solteiras quer que seus cônjuges ganhem pelo menos quatro milhões de ienes por ano, segundo o levantamento. Ao mesmo tempo, apenas 15,2% dos homens solteiros na faixa dos 20 ganham quatro milhões de ienes ou mais. Essa diferença parece ser uma das razões para que mais pessoas não se casem ou se casem tarde.

Por outro lado, muitas mulheres tem investido em suas carreiras profissionais e com isso tem colocado o desejo de constituir uma família em segundo plano. Além disso, as novas gerações tem usufruído de uma certa liberdade social que não tinham antes e em consequência disso, sentem-se mais à vontade para escolher se querem casar-se jovens ou tardiamente.

As queixas dos homens em relação ao casamento

Como vimos, o fator financeiro no Japão tem um peso muito grande, para ambos os sexos, na hora de decidir contrair um matrimônio.

Mas os homens com certeza, se sentem mais oprimidos em relação a isso, uma vez que culturalmente fica ao seu encargo o sustento da família.
Aliás, as despesas podem começar muito antes do casamento, o que para muitos homens japoneses pode ser desestimulante até para iniciar um simples relacionamento com o sexo oposto.

Confira abaixo, as principais queixas dos homens antes e depois do casamento.

Homens antes do casamento
∎ Espera-se que o homem seja o primeiro a se declarar e propor namoro.
∎ Espera-se que o homem pague as contas de um almoço ou jantar à dois.
∎ Espera-se que o homem dê presentes caros ou em uma frequência maior.
∎ Espera-se que o homem tenha a iniciativa de ligar ou enviar mensagens para a namorada.
∎ Espera-se que o homem sempre decida o local para um encontro ou jantar, etc.
∎ As mulheres podem julga-los com base em sua renda e aparência, mas o contrário não.
∎ Espera-se que o homem conheça os pais da sua namorada primeiro.
∎ O homem deve estar preparado para as críticas que receber dos futuros sogros.
∎ Espera-se que a família do noivo ofereça uma quantia maior de dinheiro como presente de noivado ou casamento.
∎ Espera-se que o homem pague a cerimônia de casamento e a recepção.
∎ Espera-se que o homem pague os anéis de noivado e outras jóias.

Homens após casamento
∎ Espera-se que o marido pague a lua de mel.
∎ Espera-se que o marido compre uma casa com seu próprio dinheiro e continue pagando as prestações por longas e longas décadas.
∎ Mesmo que a esposa seja uma dona de casa, o marido precisa ajudar no trabalho doméstico e na educação dos filhos.
∎ Em caso de divórcio, o homem perde a custódia dos filhos e deve pagar pensão alimentícia.
∎ Praticamente todo o seu salário é consumido por despesas da casa e da família, sem contar as compras extravagantes realizadas por sua esposa.
∎ Todo o seu salário deve ser entregue para esposa, contentando-se em receber apenas uma pequena mesada, estipulada por ela.
∎ A esposa tem o direito de fazer uma poupança secreta a partir do seu suado salário.
∎ Os maridos vivem toda a vida sob o mantra “O que é dele é dela, e o que é dela é dela”.

Como sabemos, no Japão a desigualdade de gênero é grande. Talvez esse seja um dos motivos para as mulheres criarem tantas expectativas em relação aos homens, esperando que parta deles a iniciativa para iniciar o relacionamento e também para pagar as contas do casal.

No entanto, muitos deles considera essa expectativa das mulheres uma disparidade e muito injusta. Há quem diga que isso não pode ser considerado um casamento e sim, um regime de escravidão.