Nacional

Kokeshi dolls, as bonecas tradicionais japonesas

Kokeshi dolls, as bonecas tradicionais japonesas

Você já deve ter visto alguma dessas bonequinhas fofas não é? Elas se chamam Kokeshi (こけし/子消し) e começaram a ser fabricadas no século 19, por artesãos japoneses que resolveram usar as sobras de madeira para fazer algo simples, porém criativo e 100% artesanal.

A forma de arte do kokeshi repousa sobre o princípio criativo da beleza e da arte através da simplicidade. São constituídas apenas por um tronco simples, com detalhes florais em vermelho, preto ou amarelo e na parte superior, uma esfera representando a cabeça com expressões faciais, tudo pintado à mão.

Uma característica das bonecas kokeshi é a ausência de braços ou pernas. A parte inferior é marcada com a assinatura do artista e por último é passado uma camada de cera para dar o acabamento.

Simbolismo das bonecas Kokeshi

Surgiram inicialmente na região de onsens (águas termais) para serem vendidas aos visitantes e turistas. Há uma crença de que a cabeça redonda e seu corpo comprido era usada como ferramenta de massagem nos visitantes dos spas. Outros acreditam que as bonecas tenham conotação sexual devido ao seu corpo fálico.

Durante o Período Edo, eram consideradas as guardiãs das crianças e detentoras das suas almas. Ter uma kokeshi significava que ela ajudaria a manter seus filhos saudáveis, além de mantê-los longe do mal. Mas o seu simbolismo mais conhecido é em relação à amizade, pois dentro da boneca tem um orifício que serve para se colocar uma mensagem, antes de entrega-la de presente à alguém.

Internet Móvel

Origem do nome Kokeshi

A origem do nome “Kokeshi” é controverso. Uma das hipóteses seria de que possa ser uma combinação de “pequeno” (ko) e “boneca de madeira” (keshi). Porém o fonema também pode significar “criança” (Ko) e “apagar” ou “eliminar” (“keshi”), o que significaria então “eliminar ou apagar criança”.

Devido a isso, muitos acreditam que as bonecas Kokeshi representavam as almas dos bebês que eram assassinados ao nascer, embora não haja evidências da ligação entre a boneca e esse fato. Dizem até que ao girar a cabeça da boneca, o som é semelhante ao choro de um bebê.

Mas a origem do nome que me parece mais viável seria a boneca estar relacionada ao fruto da papoula. Sendo assim, “Ko” seria criança e “keshi” se refere também ao nome desse fruto. Não há como negar que existe uma grande semelhança entre os dois. Dá só uma olhada:

Kokeshi dolls x Infanticídios

A relação entre as bonecas e o infanticídio teria aparecido pela primeira vez em 1965, em um romance de um escritor japonês, onde ele fez um jogo de palavras (muito típico na língua japonesa), sem considerar as consequências.

A partir daí, começaram a relacionar histórias da boneca com palavras como “crianças mortas” em alguns programas de televisão e revistas.

O infanticídio era uma prática comum no Japão até o século 20, onde muitas famílias abandonavam seus bebês em montanhas (ou pessoas de idade, como se pode ver no filme A Balada de Narayama) ou se livravam deles de outras formas.

Era um recurso usado geralmente por famílias das áreas rurais ou extremamente pobres como forma de planejamento familiar.

Outro fato de optarem pelo assassinato de recém-nascidos ao invés do aborto em fetos, seria a vantagem de exercer um controle mais preciso em relação ao sexo dos bebês dentro da família ou até mesmo dentro de uma aldeia.

Diferentemente da China e algumas partes da Ásia, essa prática terrível não foi direcionado somente contra bebês do sexo feminino, mas foi usado de forma fria e imparcial para manter o equilíbrio dos números entre homens e mulheres e assim garantir a continuidade e a estabilidade do grupo.

Ter gêmeos era considerado de má sorte, assim como ter bebês nascidos com alguma deformidade genética, portanto estes também eram vítimas do infanticídio.

Em alguns casos, o assassinato era confiado à própria parteira, que as envolvia bem em trapos, para que seus braços e pernas ficassem colados ao corpo, antes da morte.

Este é outro motivo que faz algumas pessoas relacionarem o fato da boneca Kokeshi não ter braços nem pernas.

Dizem também que as kokeshi dolls antigas do Edo são artigos raros hoje em dia, devido a um ritual, onde se queimava a boneca, como forma de libertar a alma da criança e assim seu espírito recuperar a paz.

Bom, mas isso são só suposições… o que importa é que as bonequinhas são lindas e muitas pessoas no mundo inteiro gostam de colecioná-las.

É também um ótimo souvenir para se dar à alguém especial para nós, como forma de demonstrar nossa amizade, além de desejar sorte e felicidade para este alguém.

Hoje em dia, elas ganharam um designer mais moderno e contemporâneo, como as kimmidolls, e apesar de ter começado como uma moda comercial, hoje evoluiu para algo simbólico. Podem não ser tão populares quanto um dia já foram, porém elas são muito queridas por fazerem parte da cultura e tradição japonesa.

Apesar de todas as lendas e mistérios que cercam essa bonequinha, não tem como negar que são muito kawaii não são?!

Veja como se faz uma boneca kokeshi