Notícias

Médico e Executivo são presos no Japão acusados de ligação com hackers que roubaram a Coincheck

A polícia de Tóquio prendeu dois homens acusados de ligação com o ataque hacker ocorrido na exchange japonesa Coincheck. De acordo com informações do Japan Times, o Departamento de Polícia Metropolitana de Tóquio esclareceu que um dos indivíduos é um médico que foi preso na região de Hokkaido. O outro é um executivo de uma empresa que foi preso na prefeitura de Osaka.

Segundo declarações das autoridades, os homens não são os supostos hackers, no entanto, mas teriam ligação com os criminosos, já que aparentemente foram compradores dos fundos roubados.

Entre fevereiro e março de 2018 ele teriam participado de fóruns na deep web nos quais fizeram negociações do NEM roubado que foi vendido por um preço bem abaixo do mercado (as moedas estavam sendo rastreadas desde que o hack aconteceu). Além disso, apenas em janeiro de 2018, os hackers roubaram US$534 milhões em XEM.

A polícia de Tóquio designou cerca de 100 investigadores para o caso, mas, até o momento, não houve progresso em descobrir quem foi o autor do ataque. Contudo, há suspeitas de que o hacker seja russo.

Mesmo sem encontrar o principal criminoso do caso, as autoridades têm buscado quem foram os compradores, fato que motivou a recente prisão.

Graças a esta investigação dos compradores, segundo relatos, os tokens roubados foram trocados por Bitcoin (BTC) ou Litecoin (LTC) e espalhados por mais de 13.000 carteiras.