Comportamento

Rainha Ester e as suas cinco lições de transformação pessoal

Ester morava com seu primo Mardoqueu, que ocupava uma função administrativa no palácio do rei persa, em Susã. Quando a rainha Vasti foi deposta, os funcionários do rei foram designados a levar-lhe as moças virgens para que escolhesse a que mais lhe agradasse. Conforme a tradição judaica de não se casar com povos pagãos, que não adoravam ao Deus dos Judeus, Mardoqueu não queria que Ester participasse na seleção, mas sua beleza chamou a atenção dos funcionários do rei, de modo que levaram-na. Mardoqueu não poderia impedir tal acontecimento visto que eles eram apenas estrangeiros na terra. Ester é a escolhida, tornando-se esposa de Assuero. Quando o ministro Hamã decide exterminar os judeus do reino, Ester está em uma condição privilegiada para pedir ao rei que anule o decreto de seu ministro.

Imagine que você é uma órfã que está sendo criada por seu primo. Você está totalmente sozinha neste mundo, sempre se perguntando de onde realmente veio e se um dia sentirá que já pertence a algum lugar.

Internet Móvel

De repente, você é forçada a se casar com um homem que não gosta nem respeita. Você está presa em um palácio estrangeiro onde você só pode comer frutas e sementes. Não há ninguém para você falar e nada para você fazer, exceto imaginar quanto tempo você terá que continuar vivendo esta vida que alguém escolheu para você.

Essa era a vida da rainha Ester. Ela poderia ter ficado cheia de autopiedade, pensando em como era injusto nascer nesse mundo sem pais. E como, depois de todo o seu sofrimento, ela foi forçada a um papel que poderia tão facilmente ter roubado sua dignidade e sua fé. Ela poderia ter desistido. Ela poderia ter afundado em um buraco de seu próprio desespero. Mas, em vez disso, a rainha Ester tornou-se heroína. Ela manteve sua fé e sua dignidade. Ela se recusou a desistir, mesmo quando tudo parecia perdido. E usou sua história trágica para transformar sua vida.

Aqui estão cinco lições de transformação pessoal que podemos aprender da vida de Ester:

1. O obstáculo é o caminho. Ester pegou o sofrimento que ela experimentou como um órfã e usou isto para a fazer mais forte. Ela sabia o que era ser solitária. Sabia que havia superado a dor quando criança e que tinha a resiliência dentro dela para enfrentar novos desafios. Quando ela entrou no palácio, usou esses obstáculos de seu passado como degraus em vez de desculpas. Ela escolheu usar sua dor em vez de ser sufocada por ela.

2. Viver para algo maior que você. Quanto mais focada a pessoa está em encontrar a felicidade para si mesmo neste mundo, mais a felicidade parece escapar à sua compreensão. Isso porque achamos a maior felicidade em dar aos outros e viver por algo maior que nossos próprios desejos. Ester poderia ter decidido se acomodar nos luxos e prazeres do palácio e ignorar o mundo e seu povo além de suas muralhas. Mas ela não estava vivendo apenas para si mesma. Ela crescera na casa de Mordechai e sabia que tinha a responsabilidade de defender seu povo.

3. Entre em contato com outras pessoas para obter ajuda. Muitas vezes pensamos que precisamos forjar nossos próprios caminhos sem o apoio de ninguém. Ester era a rainha; ela poderia ter decidido usar apenas seus próprios recursos para tentar salvar o povo judeu. Mas ela escolheu, em vez disso, alcançar todas as pessoas em Am Yisrael, a nação judaica, e implorar a elas que orassem por ela. Ela precisava de suas orações. Ela sabia em seu coração que, finalmente, nos levantamos e caímos juntos. Ela teve a humildade de poder dizer: preciso da sua ajuda. Por favor, lute ao meu lado.

4. Fé é persistência. Quando Ester arriscou sua vida e caminhou em direção ao rei para implorar por sua nação, ela sentiu a presença divina começar a deixá-la. Ela se sentia fraca e com medo, como se não pudesse continuar. Mas fé não significa que sempre nos sentimos fortes e corajosos. Fé significa que persistimos mesmo quando estamos exaustos e com medo. Ester não desistiu quando sentiu que não poderia continuar. Ela buscou forças dentro de si mesma até encontrar uma maneira de tornar o impossível possível. Ela continuou seguindo em frente até chegar ao rei.

5. Combata o mal convidando-o para a festa. Muitas vezes, não podemos superar hábitos e desejos destrutivos combatendo-os diretamente. Eles são fortes demais e enganosos demais para batalhas de frente. Mas podemos enganá-los como fez Ester quando ela convidou Haman para uma festa após a outra. Podemos fazê-los sentir que são bem-vindos em nossas vidas, e então podemos nos virar e canalizá-los em ferramentas para o bem. Use a raiva para lutar pela justiça. Use a beleza para construir uma casa. Use prazer para se conectar a valores duradouros.

Vamos seguir o caminho da Rainha Ester enquanto superamos nossos obstáculos e seguimos em frente.