Comportamento

Linda história de amor: casal se reencontra depois de 65 anos em asilo e volta a namorar

O amor verdadeiro sempre encontra uma maneira de voltar para nossas vidas. Um exemplo disso é um casal que recentemente descobriu que, não importa quanto tempo passe ou quantas outras pessoas tenham encontrado, no fim, a vida nos aproximará daqueles a quem nossos corações sempre pertenceram.

Internet Móvel

Maria Edy Moraes, de 84 anos, e Selviro Schaab, de 88, se conheceram ainda jovens, na década de 1940, e logo se apaixonaram. Chegaram até a marcar o casamento, mas Selviro acabou por desistir da relação porque os dois moravam em cidades diferentes. Se hoje em dia, com toda a tecnologia que existe, ainda é difícil estar separado de quem se ama, imagine então antigamente, quando as ferramentas de comunicação eram escassas e nem sempre tão eficientes.

Os dois ficaram separados por 65 anos e nunca mais tiveram notícias um do outro. Durante esse tempo, apaixonaram-se novamente, casaram, constituíram uma família e ficaram viúvos.

Maria e Selviro provavelmente pensaram que aquele era o fim de sua vida romântica, e que dali para frente apenas tinham que aproveitar os seus dias, da melhor maneira, junto à família. No entanto, a vida preparou uma grande surpresa para os dois!

Por conta da velhice e de todos os cuidados necessários, ambas as famílias optaram por colocá-los em um lar de idosos, em que seriam tratados por pessoas mais preparadas. Mal eles sabiam que, nesse novo lugar, teriam a oportunidade de redescobrir um sentimento que há muito tempo estava adormecido.

Os dois viveram por quatro meses no mesmo lugar, antes de finalmente se reencontrarem e viverem novamente o amor tão verdadeiro que experimentaram durante a juventude. Mesmo depois de tantos anos separados, e com os rostos marcados pelos anos, os dois ainda foram capazes de se reconhecer pelo olhar.

“O primeiro namorado você não esquece nunca (…) A vida fez sentido para mim. Tenho ao meu lado quem eu tinha perdido. Ele fica o dia todo sentado ao meu lado, de mãos dadas me amando. Às vezes, o destino prega uma peça, mas, para mim, o destino foi honesto. Pode ter 80, 90 anos, o amor não tem idade. Quando ama de verdade, ama”, disse Maria.

Confira a reportagem completa do casal ao G1 clicando aqui.