Celebridades

Haru e Natsu – As cartas que não foram entregues

Haru e Natsu foi uma minissérie japonesa, exibida no Japão em 2005, pela NHK e que também chegou a ser exibida no Brasil, no canal Bandeirantes.

Quem teve a oportunidade de assistir, pôde sentir um pouco o drama vivido pelas famílias naquela época, onde a pobreza e a fome tomavam conta do Japão.

Internet Móvel

Apesar de serem muito ligados à sua terra e à sua cultura, muitas famílias não viram outra forma de sobreviverem a não ser, mudando-se para outros países como o Brasil, na esperança de juntar dinheiro e assim retornar ao Japão.

Poucos conseguiram voltar, pois o Brasil não era a ¨galinha dos ovos de ouro¨ em que muitos japoneses acreditavam. Sem dúvidas nenhuma, esse série representou bem o drama da Imigração Japonesa no Brasil.

“Haru e Natsu” conta a história de uma família que decide deixar o Japão, onde passava fome, para vir ao Brasil, em 1934. No momento do embarque, uma das irmãs –Natsu– é diagnosticada com uma doença e obrigada a ficar.

No Brasil, Haru, mesmo acompanhada dos familiares, sofre com as diferenças entre as culturas e, no Japão, Natsu torna-se uma empresária. Nos anos seguintes, as irmãs escrevem cartas que não chegam. Setenta anos após a separação, Haru retorna ao Japão e reencontra a irmã.

Haru e Natsu foi baseada numa história verídica…e com certeza muitos contam histórias parecidas. Na minha família, minha avó ao vir para o Brasil, também teve que deixar uma filha aqui com a promessa que logo voltaria para o Japão.

Tal promessa nunca foi cumprida. Talvez por isso eu tenha me emocionado tanto com a minissérie, pois parecia que eu estava revivendo a história que minha família viveu à 70 anos atrás.

Parte das cenas da vida de Haru no Brasil foi gravada em uma fazenda em Campinas (SP). E houve comentários de que os atores adoraram a estadia e a alegria do Brasil.

Pra quem ainda não assistiu, aqui uma sinopse:

Haru to Natsu

Em 2005, Haru Takakura, de 80 anos, vai ao Japão junto com seu neto Yamato procurar sua irmã Natsu. Ela está retornando ao seu país de origem depois de ter emigrado ao Brasil há quase 70 anos atrás. Ao reencontrar sua irmã, Natsu, que havia se tornado presidente de uma grande empresa, tratou Haru friamente. Não quis ouvi-la, dizendo que havia sido abandonada pelos pais e pela irmã.

Haru, desolada, começa a contar o seu passado para Yamato, enquanto Natsu descobre as cartas enviadas por Haru que não haviam chegado às suas mãos.

Estas cartas contam em detalhes a dura vida de imigrante de Haru, que remete a um passado distante, em 1934, quando a família de Haru, então com nove anos de idade, emigrava para o Brasil.

Natsu, a irmã menor de sete anos, não pôde partir. Teve que ficar sozinha no Japão devido ao resultado de um exame médico que acusava tracoma ocular. As duas irmãs se despedem às lágrimas, com a promessa de se reencontrarem.

Ao chegar no Brasil,a família de Haru e Natsu se depara com uma realidade completamente diferente do que tinham imaginado em uma fazenda de café do Brasil.

A colheita é ruim, as despesas são maiores que a renda e a família fica completamente deprimida. À época, o irmão Shigeru falece e o pai, Chuji, resolve fugir da fazenda com a família.

Natsu, que havia sido deixada aos cuidados da tia no Japão, foge de casa depois de algum tempo. É acolhida por um velho criador de vacas e aprende a fabricar queijos, cuja atividade continua a exercer mesmo depois da morte do velho.

As duas irmãs mantinham o hábito de se escrever, mas as cartas não chegaram às suas mãos. A família de Haru segue em frente plantando algodão e arrendando terras.

Quando achavam que, em um ano mais, teriam dinheiro suficiente para voltar ao Japão, eclode a guerra. O proprietário expulsa os japoneses de suas terras e, sem outra solução, Haru e família se dirigem para uma colônia nikkei no interior de São Paulo, começando a vida da estaca zero.

Durante a guerra, Chuji hostiliza Kotaro Nakayama, líder da colônia. Haru é pedida em casamento pelo filho deste, Ryuta, porém, teve que recusar devido à oposição do pai. Com o término da guerra, Chuji, um “vitorista” ferrenho, não admite a derrota do Japão. Haru tem que se conformar com a atitude do pai. E, pouco a pouco, ela acaba desistindo de voltar ao seu país de origem.

Haru to Natsu

Enquanto isto, no Japão, Natsu, que ganhou dinheiro com a venda de queijos no mercado negro pós-guerra, aprende a fazer biscoitos com o nissei americano George e monta uma fábrica de doces. Ela dá luz à um filho de George, mas este retorna para os Estados Unidos.

Natsu amplia a fábrica seguindo os conselhos de Yamabe, um homem com grande tino empresarial. Visando aproveitar-se da capacidade de Yamabe, casa-se com ele, e lhe dá um filho. Os negócios dão certo e a empresa se expande cada vez mais.

No caso da Haru, aparece Takuya Yamashita, antigo companheiro do navio de emigração e, também, dos tempos de colono da fazenda. Takuya pede a mão de Haru, e os dois se casam. Em 1959, depois que Chuji falece, a família resolve se mudar para arredores de São Paulo para plantar crisântemos. Haru dá à luz dois meninos. Em 1977, o primogênito Tatsuo se casa com uma brasileira, contrariando Haru.

De volta à atualidade, (2005), Natsu aparece inesperadamente no hotel onde Haru está hospedada, e pede-lhe, aos prantos, que a perdoe. Vão a um hotel de águas termais de Hakone, onde as duas conversam sobre suas vidas depois da trágica separação.

Depois de se interarem do passado de cada uma, chegam à conclusão que apesar de todas as dificuldades, Haru sempre viveu cercada por uma grande família. Natsu, próspera como empresária, se vê solitária, sem a convivência com os filhos.

Duas vidas completamente diferentes, de irmãs separadas
pelo destino em dois locais completamente opostos do globo.

O que é “prosperidade”? O que é “felicidade” para o ser humano?
E o que significam “terra natal” e “família”?
O que nós ganhamos, e o que perdemos no decorrer dos tempos?

Todas as cenas foram emocionantes mas esta,da despedida das duas irmãs foi a que mais me emocionou. Impossível conter as lágrimas.

Quer assistir Haru e Natsu? Confira a lista de reprodução abaixo com os cinco capítulos completos e legendados:

Ficha Técnica

Direção: Mineyo Sato e Kenji Tanaka
Produção Geral:Yasuhiko Abe
Produção de Minisséries da NHK: Koji Kanazawa
Relações Públicas: Hiroshi Kurita
Produção Conjunta NHK Enterprise21
Roteiro original: Sugako Hashida

Elenco :

Época atual:
Haru Takakura ···· Mitsuko Mori
Natsu Yamabe ···· Yoko Nogiwa

Época passada:
Haru Takakura(adulta)····Ryoko Yonekura
Natsu Takakura(adulta)····Yukie Nakama

Haru Takakura(criança)····Nana Saito
Natsu Takakura(criança)····Mirai Shida
Chuji Takakura(pai)····Takehiro Murata
Shizu Takakura(mãe)····Haruka Sugata
Nobu Takakura(avó)····Misako Watanabe

Takuya Yamashita (marido de Haru) ··Masahiro Takashima
Heizo Yamashita (companheiro de imigração) ··Yosuke Saito
Kotaro Nakayama (líder da colônia) ·Akira Emoto
Toki Nakayama (esposa de Kotaro) ···Saori Yuki
Ryuta Nakayama( amigo de Haru) ····Yoshinori Okada
Primeiro-tenente Unno (oficial da marinha) ··Ryo Ishibashi
Tokuji ( velho criador de vacas) ····Hisashi Igawa
George Harada (nissei americano) ···Nao Omori
Yasuo Yamabe (marido de Natsu) ····Kazuki Kitamura

Fonte: Japão em Foco