Notícias

Descendente de japoneses, médico Ricardo Nakamura brilha no Campeonato Brasileiro de Poker

Cirurgião geral conceituado em Londrina, Ricardo Kaoru Nakamura tem se revelado nos últimos anos um ótimo competidor de poker.

De acordo com o ranking da Global Poker Index, ranking de poker ao vivo mais conceituado no mundo, Ricardo é o 33º jogador de poker mais regular do Brasil nos últimos anos.

Se levarmos em conta que há mais de oito milhões de jogadores no país, segundo informações da Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), estar entre os 33 competidores de maior regularidade em um país de dimensões continentais é um feito que poucos jogadores atingem em suas carreiras.

Internet Móvel

Com o poker entre os seus principais hobbies, o descendente de japoneses já disputou várias competições nos Estados Unidos e em outros países. Além disso, é um dos líderes do ranking geral BSOP, Campeonato Brasileiro de Poker.

Campanha no BSOP 2019: o auge de sua trajetória no poker

Criado em 2006 para ser o maior circuito de poker brasileiro, o BSOP tomou proporções gigantescas na atual década é atualmente é considerado por muitos como o maior circuito de poker da América Latina e do hemisfério do sul.

O Campeonato Brasileiro de Poker percorre várias cidades turísticas do país e atrai a nata do poker brasileiro. Neste ano, por exemplo, o circuito já esteve em vários lugares distintos, como São Paulo, Rio Quente, Salvador, Gramado e até mesmo Puerto Iguazú (Argentina).

Como acontece todos os anos, o Campeonato Brasileiro de Poker é dividido em diversas etapas. Em 2016, seis já foram completadas e a derradeira será realizada em São Paulo, no Sheraton WTC, entre os dias 26 de novembro a 5 de dezembro.

Ricardo entra para a última etapa com a segunda colocação geral e atrás apenas do carioca Marcelo Mesqueu. O título está nas mãos do líder, visto que a vantagem dele é bem grande com 4.114 pontos acumulados — contra 2.469 do paranaense.

Apesar do título já estar praticamente consolidado para Mesqueu, a participação de Ricardo certamente ficará marcada para sempre na carreira do jogador, afinal, o Campeonato Brasileiro de Poker é uma referência para qualquer tipo de competidor.

Além disso, pelo fato que Ricardo não se dedicar integralmente ao esporte, visto que ele tem outra profissão além das cartas, o feito se torna ainda mais impressionante.

No ano passado, por exemplo, o vice colocado do circuito foi Caio Hey, rondoniense que é uma grande referência no poker.

Ricardo é especialista na modalidade Texas Hold’em. A grande maioria de seus torneios são disputados nessa variante, que é a mais importante e popular do esporte. O ranking principal é disputado assim e, dessa maneira, o jogador tem o seu potencial maximizado.

Consistência como chave para a ótima temporada de Ricardo

A consistência de Ricardo tem sido impressionante ao longo de toda temporada. Ao acumular tantos pontos entrando para a última etapa do ano, o paranaense conseguiu esse feito ao somar consistentemente.

A única vitória de Ricardo no Campeonato Brasileiro de Poker em 2019 veio em uma etapa realizada em Salvador, quando o paranaense venceu um evento de Texas Hold’em.

Analisar a consistência do jogador fica ainda mais impressionante quando se leva em consideração que ele pontuou em todas as etapas do Campeonato Brasileiro de Poker, um feito que pouquíssimos competidores conseguem.

Uma curiosidade é que o principal concorrente de Ricardo para a vice colocação do circuito nesta temporada é o também descendente de japonês Luís Henrique Kamei. O competidor de Curitiba está na terceira colocação e com 2.241 pontos acumulados.

Luís tem sido uma das gratas revelações do poker nacional em 2019. O jogador chegou a vencer uma etapa principal do circuito neste ano, quando ele venceu no primeiro Main Event do ano — que foi sediado na Argentina.

Na quarta colocação aparece Guilherme Trevisan, com 2.176 pontos e seguido de perto por João Divino Neto (2.155). Ambos, porém, já estão consideravelmente longe de Ricardo no ranking e, portanto, não oferecem muito perigo para o paranaense.

Participação positiva de Ricardo em torneios nos Estados Unidos

Desde 2014, Ricardo tem participado de torneios disputados nos Estados Unidos e se destacado. Neste ano não foi diferente, com o médico tendo se destacado em algumas competições de relevância no cenário internacional.

Em julho, ele viajou até Las Vegas e fez bonito no Rio Daily Deepstack Series, no World Series of Poker (WSOP) e no DeepStack Championship Poker Series. Todos foram realizados na capital do Estado de Nevada.

A participação mais lucrativa de Ricardo veio em uma etapa do WSOP, quando o jogador ficou entre os 185 primeiros colocados de um evento que contou com a participação de 1.250 competidores.

A maior premiação da carreira de Ricardo veio em um torneio disputado nos Estados Unidos. Na ocasião, em 2018 o jogador foi campeão de uma competição chamada The Wynn Summer Classic em Las Vegas.

Com a participação de mais de 300 jogadores, o paranaense provou estar em grande fase ao vencer e colocar no bolso a impressionante premiação de US$ 72 mil.

É válido que destacar que é na estratégia de poker e suas variações que os grandes jogadores conseguem ter uma importante vantagem sobre os demais a longo prazo e Ricardo é a prova disso no esporte das cartas.

Parte do que faz um jogador de poker ser reconhecido como acima da média é a consistência e o paranaense já provou que isso não é problema.

Com anos em sequência como um competidor acima da média, o competidor chegou ao auge da carreira nas últimas duas temporadas e ao que tudo indica os próximos anos serão ainda melhores.