Tecnologia

Processadores da AMD dominam quase 69% do mercado japonês de computadores DIY

Com o recente lançamento dos novos processadores Ryzen de 3ª geração a AMD teve um aumento considerável no número de vendas das suas CPUs. Apesar de ainda não termos muitos números oficiais liberados pela empresa, as primeiras estimativas do impacto das novas soluções começaram a dar as caras em alguns sites especializados e o resultado parece ser bastante positivo.

O site PC Watch divulgou recentemente uma pesquisa realizada com os dados de venda dos principais varejista do país e constatou que 68,6% do mercado japonês de computadores montados pelos próprios consumidores são equipados com um processador da AMD. A análise foi feita com o resultado de vendas de grandes varejistas como Amazon JapãoBic Camera Edion e a conclusão foi definida através de um comparativo realizado em setembro de 2018, quando a AMD detinha apenas 20% do mercado de computadores DIY (Do it Yourself – ou faça você mesmo).

Internet Móvel

Segundo o site, a AMD alcançou essa conquista com uma série de fatores que impulsionaram a compra das CPUs da empresa. Obviamente, uma delas foi o lançamento dos novos Ryzen 3000, que chegaram como excelentes opções de custo-benefício e alto desempenho para bater de frente com os principais processadores da Intel. Em relação à preços, os Ryzen de 3ª geração conseguem bater todos as soluções equivalentes da Intel, algo que se torna bastante atrativo para quem está montando seu próprio desktop e precisa balancear seus investimentos.

Outro fator determinante foi a falta de processadores da Intel no mercado, que culminaram no aumento do preço das soluções restantes nos varejistas. Enquanto as CPUs da Intel ficavam mais caras, a AMD realizou diversos cortes de preço dos Ryzen de 1ª e 2ª geração, e ajudou demais nas vendas da empresa nesse segmento.

Por outro lado o ponto fraco da AMD continua sendo os computadores manufaturados e pré-fabricados, já que a Intel mantém sua dinastia ferozmente. Os desktops e notebooks que contam com uma CPU da AMD somam apenas 14,7% do mercado japonês, mesmo apresentando melhores benefícios energéticos, em alguns casos, maior desempenho. Isso prova que ainda há um certo receio da indústria em equipar seus computadores com os componentes da AMD, mas levando em consideração o crescimento da empresa neste segmento, é provável que tenhamos mais dispositivos vendidos com CPUs Ryzen de fábrica.

O resultado dessa pesquisa, entretanto, não apresenta uma conclusão definitiva sobre o atual mercado de processadores no Japão. Isso porque os dados coletados revelam apenas o número de vendas de processadores da AMD e não o número de consumidores que estão usando as soluções em seus computadores.

Muitos leitores criticaram a forma que o site realizou a pesquisa e solicitaram mais detalhes sobre os métodos utilizados. O PC Watch confirmou o equívoco e disse estar trabalhando para atualizar a matéria em breve.

De qualquer forma, o resultado atingido com os números de vendas revelam que neste momento a AMD detém quase 69% das vendas de processadores para os consumidores japoneses. Estejam eles equipando os desktops ou não, o salto dos negócios da empresa já se mostram extremamente efetivos.

Estaremos atentos aos próximos detalhes dessa pesquisa.