Nacional

‘Descoberta do século’: arqueólogos desenterram no Japão muralha de castelo do século XVI

As escavações de ruínas do último castelo construído pelo chefe guerreiro Toyotomi Hideyoshi são consideradas a maior descoberta arqueológica deste século no Japão.

Embora tenha havido referências documentadas de nobres da corte sobre o Castelo de Quioto, até o momento não havia evidências sólidas que provassem que tipo de estrutura mandou construir Toyotomi Hideyoshi – um poderoso “senhor das terras” e importante figura militar e política do Japão do século XVI, considerado um dos “grandes unificadores” do país.

Internet Móvel

O Instituto de Pesquisa Arqueológica da Cidade de Quioto anunciou na terça-feira (12) a descoberta de fragmentos de uma muralha e um fosso de castelo localizados atualmente no território do Palácio Imperial de Quioto.

Considera-se que a construção do castelo foi completada um ano antes da morte de Hideyoshi. Os diários dos nobres daquela época referem-se à estrutura apenas como o palácio de Hideyoshi, sem referência a uma denominação formal.

Um dos pesquisadores disse em comentários ao jornal Mainichi Shimbun: “Ter as muralhas de pedra e outros fragmentos realmente confirmados [como parte do Castelo de Quioto] é extremamente importante.”

O local das escavações se encontra na parte sudeste do Palácio Imperial de Quioto abrangendo uma área de aproximadamente 32 hectares. Os pesquisadores consideram que o fosso originalmente era de pelo menos três metros de largura e 2,4 de profundidade.

Além disso, no fosso foram descobertas pedras que caíram da muralha do castelo, assim como telhas banhadas a ouro que tinham o brasão da família Toyotami.